20-7-2016

 
 

 

  Artigo publicado no jornal "Notícias de Vouzela", de 4 de Agosto de 2016 

 

 

 

 

OS CAPITÃES DE CAMBARINHO

 

 

Nota: A menção img. (imagem) refere-se às digitalizações dos assentos paroquiais de baptismos, casamentos e óbitos, que estão elencadas em http://tombo.pt

 

Tendo estudado (parcialmente) a descendência de João Lopes Correia da Cruz, o Capitão de Rebordinho, pareceu-me interessante procurar também elementos acerca de outros Capitães da freguesia de Campia na mesma época. Havia mais Capitães em Fiais, em Cercosa e no lugar de Campia, mas desta vez vou dedicar-me só aos Capitães de Cambarinho, em especial ao Capitão Manuel Lopes Correia ou Manuel Lopes da Cruz, irmão inteiro do Capitão de Rebordinho.

 

 

Capitão Manuel Lopes da Cruz

 

 

Em 13 de Julho de 1724 (img. 129-Livro de Mistos 1706-1748), Manuel Lopes, do Couço, freguesia de Pinheiro, veio casar em Campia com Ana Nunes (bp. 10-12-1698, img 118 do Livro de Mistos 1613-1712), de Cambarinho, filha de Manuel Nunes, já defunto († 4-8-1712, img. 212 do Livro de Mistos 1706-1748) e de sua mulher Catarina Duarte, natural de junto da Igreja de Cambra, mas moradora em Cambarinho. Ele era filho de Domingos João, natural de Paredes de Gravo e de sua mulher Patronilha Lopes, do Couço-Pinheiro de Lafões, onde moravam e irmão do Alferes Tomás Lopes, que nessa altura, ainda não viveria em Cambarinho. Manuel Lopes e a esposa foram viver para esta localidade, mas não tiveram filhos.

Em 8 de Agosto de 1756, Tomás Lopes casou em Oliveira de Frades (img. 363 do Livro de Mistos 1659-1782) pela segunda vez com Maria Francisca, de Travassós, daquela freguesia.

A certa altura, o mesmo Alferes Tomás Lopes foi viver para Cambarinho com sua esposa e aí tiveram os seus filhos. Quando o irmão († 10-12-1775 – img. 56 do Livro de Mistos 1736-1790) e a cunhada († 20-12-1774 – img. 63 do mesmo livro) faleceram, foi herdeiro o irmão Alferes, tal como indica o assento de óbito que refere o falecido como “Manuel Lopes da Laja de Cambarinho”.

 

Logo a seguir ao Capitão de Rebordinho, casou também o filho mais velho Manuel Lopes Correia (†  11-4-1832 – img. 11)  ou Manuel Lopes da Cruz (usou os dois nomes) em Pinheiro de Lafões em 10 de Fevereiro de 1795 (img. 77 – casamentos -  da freguesia de Pinheiro de Lafões) com Antónia Maria Lopes, de Nespereira (n. 27-9-1762 - img. 40-Pinheiro de Lafões --- †  2-11-1850 – img. 44 - Campia). Tiveram 7 filhos:

António que foi conhecido por António Lopes da Cruz  bp. 5-4-1796 – img. 94    

Maria, que foi conhecida por Maria Joaquina de S. José – bp. 19-2-1799, img. 114

Rosália, bp.  10-9-1800 – img. 125

José, bp. 19-7-1803 (a 15 dias do seu nascimento) – img. 144  - Foi sacerdote, usando o nome de Padre José Tomás Lopes

Joaquim,  bp.  9-10-1806 (ao sétimo dia do seu nascimento) – img. 168

Rosa,  bp. 7-10-1809 (ao oitavo dia do seu nascimento) – img. 190

Bernarda, bp. 3-11-1811 (n. 5-10-1811) – img. 209 

Manuel Lopes da Cruz foi promovido a  Capitão em 13 de Janeiro de 1801.

A sucessão do filho mais velho António, já a referi a propósito da família da Laja.

Maria Joaquina de S. José casou na Igreja de Campia em 13 de Janeiro de 1824 (img. 85) com o Alferes António Lopes Ribeiro, filho de António Lopes Ribeiro da Fonte († 28-3-1813 – img. 74), de Cambarinho e de Josefa Maria († 30-8-1816 – img. 89), natural de Sernada – S. Vicente de Lafões. Tiveram pelo menos estes filhos:

Img. 51 – António bp. 9-11-1824  (n. 2-11-1824)

Img. 80 – José, bp. 27-2-1827 (n. 21-2-1827)

Img. 97 – Joaquim, bp. 17-3-1829 (n. 10-3-1829)

Img. 14 - Bernardino, bp. 8-3-1832 (n. 29-2-1832)

 

 Maria Joaquina de S. José faleceu em 29 de Abril de 1838 (img. 18).

 

 

Capitão Domingos Marques Dias

 

 

O Capitão Domingos Marques Dias, posto a que foi promovido em 8 de Julho de 1779, foi baptizado em 13 de Dezembro de 1723 (img. 15 do Livro de Mistos 1706-1748), e foi filho de António Marques e de Antónia Fernandes Dias, ambos de Cambarinho;  faleceu em 18 de Abril de 1800 (img. 26). Foi sepultado na Capela de Nossa Senhora das Neves.

Há referências a casamentos dele algo misteriosos, que não devem ter sido realizados em Campia:

Maria Rodrigues, mulher do Alferes Domingos Marques, faleceu em 19-4-1768 – img. 58  do Liv. de mistos 1736-1790

Eufémia Luisa da Cunha, mulher do Alferes Domingos Marques, faleceu em 6-5-1780 – img. 67 do mesmo livro.

Foram ambas sepultadas na sua (do marido) Capela de Nossa Senhora das Neves

Depois disso, casou em 4 de Fevereiro de 1783 com D. Rosa Josefa da Gama Vasconcelos Marques, de Cepelos-Amarante (img. 24 – n. 4-7-1748, bp- 10-7-1748) , em Santa Eulália de Besteiros (img. 159 desta freguesia-Livro de Mistos 1716-1825), que ali vivia com seu irmão, o Capitão José de Vasconcelos Ribeiro (Img. 13 – n. 14-8-1745, bp. 22-8-1745). Tiveram pelo menos dois  filhos:

img. 13 – Dâmaso José,  bp. 31-3-1787

img. 134 – Maria Rosa, bp. 21-12-1783

Esta Maria Rosa casou com o Capitão Ricardo José Xavier da Veiga a seguir referido.

A mãe, D. Rosa Josefa, veio a falecer em 8 de Abril de 1822 (img. 112). Foi sepultada na Capela de Nossa Senhora das Neves.

Domingos Marques é referido com administrador da Capela nas Respostas ao questionário do Marquês de Pombal em 1758.

 

Capitão Ricardo José Xavier da Veiga

 

 

Foi filho do Bacharel António Lopes Ribeiro da Cruz, de Campia que fora casar a Portela, freguesia de Santiago de Besteiros com D. Maria Joana da Veiga e Cruz. Ricardo José Xavier da Veiga, nascido na referida povoação da Portela a  25 de Agosto de 1779 (img. 9 Liv. 1779 – 1787), ali se criou e integrou o Regimento de Milícias de Tondela, onde foi promovido a Capitão em 3 de Maio de 1811 e demitido em 21 de Janeiro de 1823.

Veio casar a Cambarinho em 30 de Julho de 1799 (img. 27) com Maria Rosa Angélica da Gama Vasconcelos, filha de Capitão Domingos Marques Dias e de sua esposa Rosa Josefa da Gama Vasconcelos; tinha aquela então 15 anos. O casamento realizou-se na Capela de Nossa Senhora das Neves e dele foram testemunhas: Tomás Lopes, seu filho, Alferes Manuel Lopes Correia, António Lopes Ribeiro da Fonte e o filho António.

Tiveram pelo menos os filhos seguintes em Cambarinho:

Paulo, bp.30-6-1801 – img. 129

Rosa, bp. 6-3-1803 – img. 140

António Xavier, bp. 15-11-1805 – img. 151

António Maria, bp. 13-1-1812 – img. 3

Cândida – bp. 12-5-1814 – (8.º dia do nascimento) – img. 29

A esposa Maria Rosa faleceu em 31 de Março de 1816 (img. 87) e foi sepultada na Capela de Nossa Senhora das Neves.

O Capitão casou uma segunda vez na Igreja de Cambra em 3-9-1821 (fls. 177) com D.  Josefa Maria do Carmo, de Cajadães, filha de Luís de Figueiredo e de Maria Rosa. Ficaram a viver em Caveirós de Baixo.

 

Texto consultado

Nuno Gonçalo Pereira Borrego, As ordenanças e as milícias em Portugal: subsídios para o seu estudo, Volume I, Lisboa, Guarda-Mor, 2006.